Início Ensaios Toyota Aygo X-Cite

Toyota Aygo X-Cite

Toyota Aygo X-Cite
0
0

AYGO. Just Go

Este foi o slogan apresentado pela marca japonesa, na altura em que apresentou o restyling ao seu modelo de acesso à gama, o fiel AYGO, um modelo que se deu a conhecer ao mundo em 2005 (?), tendo esta sua segunda geração chegado aos concessionários da marca há já quatro anos. Passado todo esse tempo, foi agora altura de uma revisão ao modelo, que perdeu um dos seus elementos mais característicos.

Elemento esse que era o enorme “X” estampado na dianteira do pequeno Toyota e que fazia o contraste com o resto da cor da carroçaria. Havia quem adorasse, mas também quem odiasse, e fugisse do modelo. Sabendo disso, a Toyota jogou pelo seguro. Não que estivesse errada, apenas pode ter sido demasiado otimista, e por vezes o público não está pronto. Agora, esta frente é mais fácil de gostar, ainda que muito japonesa e cheia de personalidade, o que é de aplaudir. Destaca-se igualmente os faróis redesenhados com elementos LED, para iluminação diurna.

Esse redesenho passou também pela traseira, com a adoção de novos farolins mais modernos e estilizados, assim como para-choques redesenhados. Já a lateral, permaneceu praticamente inalterada, destacando-se apenas as novas jantes de 14’’, em preto brilhante, assim como a permanência do teto que pode assumir uma cor diferente do resto da carroçaria.

Sim, não podemos esquecer o “elefante na sala”, que é a cor, a nova tonalidade Magenta que pode revestir o novo Aygo e é, penso eu, integralmente destinada ao público feminino.

E essa aposta não é de todo errada, já que neste segmento o público feminino tem um peso enorme, e foi a pensar nisso que este modelo foi desenvolvido, e adotou muita da sua simplicidade.

Passando para o seu espaçoso interior (sim, cá dentro não parece o mesmo carro), o Aygo recebeu novos revestimentos, padrões e detalhes, com o intuito de o manter atual. O sistema de infotenimento não é gracioso, mas é completo, podendo agora contar com navegação, opcional, por pouco mais de 400€. A personalização presente no exterior passa também para o interior, que nesta unidade da linha X-Cite apresenta elementos na mesma tonalidade Magenta que encontramos “lá fora”, seja no punho da caixa manual, nas saídas de ventilação, ou mesmo nos pespontos dos bancos.

Atrás, o espaço é apenas para dois passageiros, mas que vão bem sentados, com as malas a serem arrumadas na bagageira de 168L de capacidade, que tem como porta o vidro traseiro, elemento que já vem desde a sua primeira geração.

Quanto à mecânica, o motor é o mesmo, mas foi revisto de maneira a ser mais eficiente e mais performante. Bem, performante não é bem a palavra certa quando temos 72cv “debaixo do pé direito”, mas o certo é que se mostram suficientes quando a balança acusa apenas 915kg de peso, num automóvel muito ágil de conduzir, mesmo fora da cidade, com uma grande dose de aderência, elemento que dá segurança ao condutor. A suspensão tolera (dentro das possibilidades) bem as irregularidades, ao mesmo tempo que a transmissão de cinco velocidade explora bem o motor, e garante que os consumos permaneçam baixos, que é o que se quer num automóvel deste tipo.

Esta versão X-Cite, uma das mais equipadas, está apenas disponível nesta cor, mas saiba que existem 7 versões do Aygo, garantido que cada condutor encontra a sua própria versão. Esta unidade custava 15.608€, com o Aygo a começar pouco acima dos 11 mil euros, já com este motor, o único disponível na gama. Quanto ao modelo, está pronto para mais uns anos de “batalha na cidade”!

E muito importante, agora os modelos Toyota passam a contar com garantia de 7 anos ou 160.000km! Mais uma razão para confiar na marca nipónica.


Toyota Aygo 1.0 VVT-i X-Cite

Especificações:
Potência – 72cv às 6000rpm
Binário – 93Nm às 4400rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 13,8s
Velocidade Máxima (oficial): 160km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) –4,1l/100 (6,7l/100km)

Preços:
Toyota Aygo desde: 11.295€
Unidade ensaiada: 15.608€


Carrega nas fotos, e vê este Aygo X-Cite: 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!