Início Ensaios Seat Leon ST 2.0 TDi 150 FR

Seat Leon ST 2.0 TDi 150 FR

Seat Leon ST 2.0 TDi 150 FR
0
0

“Lutar contra a corrente”

É normal para quem aqui passa, ver a abundância de SUV que testamos. Temos uma resposta, e para isso vamos usar uma expressão do mítico Jornalista e comentador desportivo, Jorge Perestrelo: “É disto que o meu povo gosta!”.

Mas, e as carrinhas? As grandes favoritas cá do Burgo? Ainda têm o seu espaço ao sol? Para descobrir isso, fomos testar a Seat Leon ST, logo depois de sairmos do seu ‘irmão’ Ateca.

As carrinhas têm as suas vantagens, são na maioria dos casos mais poupadas que os seus congéneres mais elevados, são mais dinâmicas e em termos de espaço, quando perdem, é apenas em altura. As bagageiras são também, salvo raras exceções, de maiores dimensões. E isso aqui confirma-se, face ao Ateca, que já é um dos mais dinâmicos SUV do nosso mercado, tal como dissemos no ensaio.

A dúvida que também se impõe é se a Leon ST continua “aí para as curvas”.

Na estética, sim. O desenho empregue pela Seat foi certo, com um dinamismo hispânico dentro de um grupo germânico, que é elegante, mas por vezes ‘frio’. A Seat opta por vincos mais pronunciados e uma imagem mais dinâmica para cativar os seus clientes. A Leon ST é, por isso, uma das carrinhas mais elegantes do mercado, sobretudo se contar com o nível de equipamento FR, tal como a nossa unidade ensaiada, que se destacava ainda mais pela sua alegre cor Laranja Eclipse, o que prova que ter uma carrinha não é sinónimo de ser aborrecido.

O interior é ainda agradável, mesmo que já conte com 0 anos de mercado. As superfícies são mais orientadas para o condutor, mas acabam por ser ergonómicas para quem circula na frente. O renovado sistema de infotenimento é agora ainda mais completo, num interior tecnológico onde obviamente o ponto de destaque é o painel de instrumentos totalmente digital e personalizável, dos mais completos que já tivemos oportunidade de testar.

A posição de condução é correta, graças aos múltiplos ajustes. Outro fator também relevante são os vários espaços de arrumação no seu interior, que em muito ajudam a um bom ambiente familiar e que dão pontos no conforto. O espaço atrás é bom, perdendo só um pouco em largura face ao Ateca, e ficando praticamente empatado no espaço para as pernas e em altura. A bagageira é superior em capacidade, com uns massivos 587L de capacidade, que podem ser ajustados em altura, para ficarem com acesso mais fácil nas cargas e descargas.

Tal como a cor provou no exterior, também o comportamento revela que o aborrecimento fica de fora desta Leon.

Esta unidade conta com o motor diesel “dois mil” de cilindrada, com 150cv aliados a uma transmissão manual de seis velocidades. De certo que este motor com maior pulmão não é o preferido dos Portugueses, ou seja, ser, até seria, não fossem os impostos a obrigarem a um “downgrade” para o 1.6 TDi com 115cv.

Mas é neste motor de 150cv que conseguimos perceber todo o dinamismo desta proposta da marca espanhola, que tenta pôr sempre nos seus modelos um cunho mais atlético, e que faz até o mais exigente condutor, extrair algum prazer de condução. E isso surge de forma mais facilitada face aos SUV devido ao adornar menor, assim como uma aproximação do asfalto, o que faz o condutor sentir-se melhor aos comandos da Leon.

O comportamento em curva é assertivo, com tudo a acontecer sem sobressaltos, e com os 4,54m desta carrinha a passarem de “uma vez só” pela curva, graças a uma suspensão bem trabalhada, assim como uma direção direta que “faz o que mandamos”. A caixa manual é agradável de usar e explora bem o motor, que para além de conseguir uns bons números nas prestações dinâmicas, consegue também o mesmo no que toca a consumos ficando, no final deste ensaio, o valor de 5,2L no computador de bordo, depois de mais de 400km de utilização em percurso misto.

Importante referir que, mesmo com algum tempo de mercado, a proposta da Seat continua atual, já que a marca não parou de a evoluir, dotando-a dos mais modernos sistemas de segurança ativa, como é o caso do detetor de saída involuntária de via, leitor de sinais ou mesmo os já “habituais” faróis LED, que tanto fazem por tornar a condução noturna numa tarefa mais fácil.

Portanto, no final de contas, as carrinhas ainda valem? Obviamente que sim! Respeitamos quem gosta de SUV, e eles estão cada vez mais agradáveis de guiar, mas não conseguimos mudar a física, e o centro de gravidade mais baixo das carrinhas faz milagres. Para além disso, dentro do mesmo segmento, a carrinha costuma ser mais barata (o que é o caso aqui), gasta menos e o espaço em diversas quotas até é superior.


Seat Leon ST 2.0 TDi 150 FR 

Especificações:
Potência – 150cv às 3500rpm
Binário – 320Nm às 1750 ~ 3000rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 8,6s
Velocidade Máxima (oficial): 215km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 4,1l/100km (5,6l/100km)

Preços:
Seat Leon ST desde: 25.516€
Seat Leon ST 2.0 TDi FR DSG: 39.639€


Carrega nas fotos e vê este Seat Leon ST FR em detalhe:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!