Início Ensaios SEAT Ateca 2.0 TDi 150 4Drive XCellence

SEAT Ateca 2.0 TDi 150 4Drive XCellence

SEAT Ateca 2.0 TDi 150 4Drive XCellence
0
0

“Fazer história”

Já por aqui dissemos inúmeras vezes: “uma marca sem um SUV nas fileiras, não vende e não consegue ser competitiva.” Impressionados? Então sejam bem-vindos a 2018!

A SEAT soube disso e, na altura certa, em 2016, apresentou o seu SUV médio, o Ateca, que tem sido um sucesso para a marca, tendo mesmo vencido os prémios AutoBest. Passado todo este tempo, já fora desse Hype, chegou a nossa vez de o experimentarmos, numa altura em que a concorrência está cada vez mais aguerrida e cheia de trunfos. Será que o “nuestro hermano” está preparado?

Bem, no que toca ao seu exterior, o Ateca tem uma presença positiva, sendo a ilustração perfeita do que é um Seat atualmente: “Dinâmico, mas não em demasiado”.

É uma mistura entre linhas aguçadas, superfícies “dobradas”, mas que se conjugam muito bem com outras mais discretas, o que cria um conjunto sóbrio, mas elegante, com a pitada necessária de ‘Salero’.

Dito isto, a sua dianteira conta com a grelha típica da marca, muito inspirada no Leon, mas ainda assim o Ateca consegue ter a sua personalidade própria. Isso acontece também com a secção posterior: grupos óticos rasgados e esculpidos, linhas retas e o nome do modelo colocado em destaque. Seja qual for o ângulo que vejamos este Ateca, na versão XCellence conta com plásticos negros a revestir toda a parte inferior, na verdade, sem isso não é um “crossover”. Ainda assim, monta umas elegantes jantes de 19’’, que podemos avançar desde já que não impactam o conforto a bordo.

Por falar nisso, e sem perder mais tempo, passamos para o interior. Aqui é bem mais “Leonizado”, um tablier bem montado, com linhas simples, mas não em demasiado, com tudo a estar mais orientado para o condutor. A posição de condução é boa e conta com múltiplos ajustes, os comandos são suaves e estão colocados de forma ergonómica. Ainda no tablier, destaque para elementos ainda analógicos, como é o caso dos comandos da climatização e o painel de instrumentos, com este último a já poder ser escolhido como 100% digital, como em outras propostas do grupo.

O espaço a bordo está em bom nível, graças aos 4,36m de comprimento, baseados na plataforma modular MQB. Os passageiros traseiros contam com um bom espaço para as pernas e cabeça, ainda que seja mais aconselhável que o banco traseiro seja apenas utilizado por dois passageiros, já que o túnel central é algo elevado, devido ao sistema 4Drive, que também faz a bagageira diminuir dos 510L para os 438L.

Tem esses dois pequenos contras, mas, na condução, o sistema 4Drive é rapidamente perdoado.

Nesta unidade que contava com os préstimos do conhecido 2.0 TDi de 150cv e caixa manual de 6 velocidades, o Ateca 4Drive é um verdadeiro “papa-curvas”, com grande confiança e sempre nos “carris”. A sua direção é precisa e com bom peso, enquanto o motor tem genica quando necessário, ou seja, desde baixas rotações. Os consumos conseguem ser facilmente mantidos abaixo dos seis litros aos cem, ainda que o mais realista seja os 6,2L/100km que conseguimos em percurso misto.

O sistema 4Drive também pode ter um uso fora-de-estrada, ajudando a tracionar melhor em pisos mais escorregadios ou difíceis, mas nada de muito aventureiro, seja devido aos seus ângulos de entrada, ventral ou de saída, ou pelas jantes de 19’’ revestidas por pneus de baixo perfil. No entanto, pode ir percorrer muita terra batida à confiança!

Quanto ao equipamento, o Ateca XCcellence já vem bem equipado, mas aqui sente-se um pouco a sua “veia alemã” no que diz respeito aos opcionais, e que esta unidade contava com alguns importantes, como é o caso das jantes de 19’’, câmara traseira, pacote de assistência à condução avançado, assistente ao estacionamento automático, controlo adaptativo do chassis, teto panorâmico, sistema de navegação plus e abertura do portão traseiro mãos livres. E mesmo que os opcionais tenham um preço justo, fazem com que este Ateca que veem nas imagens custe algo como 46 mil euros.

Justo? Tendo em conta a sua tração integral, o equipamento vasto, o motor com boas capacidades e o consumo comedido, talvez. Achamos que a versão equipada com o motor 1.6 TDi de 115cv já “chegua para as encomendas” e poupa logo 8 mil euros à partida. De qualquer maneira, o Seat Ateca é um bom produto, juntando ao generoso espaço interior uma dinâmica sem mácula e um aspeto moderno. Muito bem jogado, Seat.

“Para ti o SEAT Ateca é demasiado grande para ti?”
Então conhece o SEAT Arona na nossa “Roadtrip Ecológica”!

SEAT Ateca 2.0 TDi 150 4Drive XCellence

Especificações:
Potência – 150cv às 3500 ~ 4000rpm
Binário – 340Nm às 1750 ~3000rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 8,5s
Velocidade Máxima (oficial): 202km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 4,3l/100km (6,1l/100km)

Preços:
SEAT Ateca desde: 26.235€
Preço da versão ensaiada : 40.626€
Preço da unidade ensaiada: 46.800€

Carrega nas fotos e vê este Seat Ateca em detalhe:

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!