Início Ensaios Seat Ateca 2.0 TDi 190 FR

Seat Ateca 2.0 TDi 190 FR

Seat Ateca 2.0 TDi 190 FR
0
0

“Desportivo e verdadeiramente útil”

Os SUV são o tipo de automóvel que vê, a cada dia que passa, um crescimento exponencial. Mas o que quer dizer SUV? Os Sport Utility Vehicle são automóveis que juntam o generoso espaço a bordo, com a capacidade de chegar a locais mais remotos (sem deixar peças para trás), ao mesmo tempo que em estrada conseguem ter um comportamento dinâmico em linha com os automóveis mais “rentes ao chão”. Basicamente, são a junção entre uma carrinha e um jipe. E este Seat Ateca que tivemos em ensaio é, talvez, o melhor exemplo disso!

Mas porque digo isto? Porque, na verdade, o Seat Ateca é um dos mais dinâmicos SUV do mercado, que através da sua plataforma MQB (a que é usada em todo o grupo), assim como um acerto mais desportivo, consegue transparecer para a condução, o que a imagem já nos promete.

Ainda para mais a deste Ateca, que com o nível FR confere a este elegante modelo um look mais dinâmico, conjugado com um desenho bem conseguido, que junta o “salero” a que a marca nos tem habituado a uma imagem fácil de gostar, robusta e cheia de vincos expressivos. A Seat não cometeu o erro de apenas “agigantar” o Leon, fazendo do Ateca um modelo próprio e com personalidade.

Para reforçar, neste nível as diferenças cifram-se nos distintos para-choques e embaladeiras, que deixam cair o plástico negro típico deste tipo de automóvel, para a mesma cor que reveste a carroçaria, o bonito Laranja Samoa. As outras diferenças são encontradas na dupla ponteira de escape, ou mesmo nas jantes Exclusive de 19’’.

Já no interior, mais decalcado do Leon, mas com diferenças, encontramos um ambiente que, tal como no exterior, junta a sobriedade a algum ímpeto desportivo, facto que se destaca pela disposição dos controlos mais para o condutor. Ainda assim, tudo está colocado de forma ergonómica e fácil de utilizar. Os materiais agradam à vista, e na maioria deles ao toque, com os mais duros a estarem mais na parte inferior. A montagem não apresentou erros, já que esta unidade contava com uma quilometragem já mais avançada e não exibia barulhos parasitas.

Tal como no exterior, o interior também conta com o “cunho FR”, ou seja, os bancos são mais envolventes, e de série já são revestidos em pele e alcantara com pespontos vermelhos que transitam para muitos outros pontos do habitáculo.

O espaço interior é uma das vantagens do Ateca, que conta com boas quotas de habitabilidade, tanto para os passageiros da frente como os traseiros, com espaço mais que suficiente para dois passageiros, ou mesmo três, caso o “do meio” faça algumas concessões no espaço para as pernas, já que o túnel central do sistema 4Drive não perdoa. Os benefícios são muitos, como vamos ver.

Antes, importa referir que a mala conta com uns muito agradáveis 485L de capacidade, num bocal largo e fácil acesso.

A ‘animar’ este Ateca, contámos com o motor diesel mais potente, o 2.0 TDi com 190cv, conectado à caixa de dupla-embraiagem DSG de 7 velocidades, que explora na perfeição este propulsor e que garante uma superior desenvoltura. E para descobrir o sistema 4Drive, nada melhor que o tempo chuvoso que apanhámos, já que muitos de nós nos esquecemos que os sistemas de tração integral são mais úteis em tempos chuvosos e onde a aderência é precária, do que propriamente para andar fora de estrada. Algo que este Ateca FR faz, mas que convém lembrar que os pneus são puramente de turismo, e a altura ao solo não é muita. Dá para algumas aventuras…

O protagonismo do Ateca começa aqui, juntando a potência dos seus 190cv e 400Nm, com um chassis bem acertado, aliando bem o conforto e o pouco adornamento de carroçaria. O sistema 4Drive, para além de dar doses generosas de aderência (e confiança), dá também ao condutor pontos extra na dinâmica, graças à suspensão Multibraços, exclusiva para este Ateca de tração integral.

A ajudar ainda mais a tudo isso, a direção colabora, sendo bem direta e comunicativa, fazendo que este seja um SUV agradável para quem gosta de conduzir. Uma perfeita união entre a carrinha (espaço a bordo) e a utilidade de um automóvel sobrelevado e com tração que nos permite transpor alguns obstáculos que numa normal carrinha não conseguimos.

Para estar em linha com o resto dos seus concorrentes, o Ateca já conta com muitos elementos de segurança ativa, como o leitor de sinais de trânsito, sistema de ajuda ao estacionamento ativo com câmara 360º, sistema de alerta ao ângulo morto, assim como de transposição involuntária de via. O cruise-control adaptativo também dá uma ajuda nas viagens mais longas, enquanto que em cidade, o assistente ativo de travagem evita pequenos “toques”.

Começando os números, o consumo é justo tendo em conta as capacidades do Ateca, tendo ficado em 7,1l/100km, acima dos muitos ambiciosos 5,3l/100km assumidos pela marca, num automóvel que declara uma velocidade máxima de 212km/h e uma aceleração dos 0 aos 100km/h em apenas 7,5s. Bom, para um peso de 1535kg.

Quer mais? O Cupra Ateca é um “canhão” de 300cv, e já está disponível.

Os outros números que falo, são os do preço, que devido ao sistema 4Drive e à cilindrada deste motor 2.0 TDi, penalizam um pouco o preço final deste Ateca, que fica mais dispendioso que a versão de tração dianteira e 150cv, infelizmente isso acontece devido à nossa forte carga fiscal. O certo é que alguns concorrentes diretos sem sistema de tração integral são pouco mais baratos, e os premium com muito menos equipamento são bem mais caros. O Seat Ateca está no meio nos preços, posição idêntica à que tem no mercado.

Este sim, é o ‘Verdadeiro SUV’, juntando os elementos que mais precisa, para vencer.


SEAT Ateca 2.0 TDi 190 FR DSG 

Especificações:
Potência – 190cv às 3500rpm
Binário – 400Nm às 1900~3300rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 7,5s
Velocidade Máxima (oficial): 212km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 5,3l/100km (7,1l/100km)

Preços:
Gama Seat Ateca desde: 27.054€


Carrega nas fotos e vê este Seat Ateca em detalhe:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!