Início Ensaios Peugeot 508 SW 1.5 BlueHDi Allure

Peugeot 508 SW 1.5 BlueHDi Allure

Peugeot 508 SW 1.5 BlueHDi Allure
0
0

“Haverá alguém mais bela do que eu?”

Pois bem, voltamos a bordo do Peugeot 508, depois de alguns testes a variadas versões (que podem ver no final deste ensaio), sendo esta a variante que tem uma superior importância no mercado, já que o segmento D tem um “apetite voraz” por variantes SW, Tourer’s ou Breaks como prefiram chamar.

O certo é que a Peugeot fez na 508 SW, o mesmo que já tinha feito na versão berlina.

Ou seja, se na berlina não criou um normal (e aborrecido) três volumes, tendo optado por criar um 508 mais inspirado num coupé, tendo a vantagem de contar com uma 5ª porta, a variante SW também não se limitou apenas a ser uma normal carrinha. A Peugeot optou por ir buscar uma inspiração extra ao concept Instinct apresentado no salão de Genebra em 2017, tendo ido lá beber muita da inspiração para criar esta atraente “shooting brake”…

E se houve frase que ouvi durante este teste foi: “adoro o carro, mas neste caso até gosto mais da carrinha…”

Esteticamente está (mais do que) aprovada. A dianteira é bem esculpida e baixa, igual à da versão berlina, que pode assumir várias facetas (tendo em conta a versão); os faróis, que aqui eram Full LED em opção, contam com as ‘laminas’ verticais a servirem como iluminação diurna, enquanto o para-choques, mesmo nesta versão mais sóbria Allure, apresenta um dinamismo que a Peugeot 508 SW não quer esconder.

Mas é na lateral que mais impressiona devido à sua baixa altura, e isso fá-la parecer mais comprida do que realmente é. Como comparação, esta 508 SW é mais curta em 5cm que a anterior geração, e apenas 3cm mais comprida que a versão de cinco portas que já testámos. As linhas descendem até um portão de bagageira bem desenhado, e que também contam com os elementos LED “escondidos” numa zona mais escura e transparente. Algo que se tornará elemento diferenciador dos modelos da marca do leão. Aqui na traseira encontramos ainda o lettering Peugeot orgulhosamente presente, assim como uma dupla ponteira de escape quadrangular… falsa.

Como o interior, pelo menos na frente é igual aos demais Peugeot 508, decidi começar a conhecer esta Peugeot 508 SW pela bagageira. E sim, não impressiona pela sua volumetria, também é mais pequena que a sua antecessora, e não é assim referência no seu segmento. Porém, tem um ótimo acesso, largo e baixo, assim como uma capacidade superior face à berlina, ganhando 43L passando a apresentar por isso 530L de capacidade, que podem ser aumentados para mais de 1700L graças ao rebatimento assimétrico dos assentos traseiros, na porção 60:40.

Sentando nos lugares traseiros, circulamos confortáveis cá atrás. Existe um bom espaço para as pernas e ombros, e para a cabeça, embora o desenho exterior não o faça parecer. Aqui, a Peugeot conseguiu “escavar” algum espaço e não há aborrecimentos nesse campo. De qualquer maneira, é sempre mais aconselhado apenas para dois passageiros, já que vão no maior conforto e podem aproveitar tanto o apoio de braço, como as saídas de ventilação, assim como as portas USB dedicadas a carregar os mais variados gadgets.

Finalmente ao volante!

Aqui temos o famoso i-Cockpit, que aqui aparece melhor do que antes. A visibilidade para o painel de instrumentos está praticamente corrigida (não se perdendo informações), e a posição de condução é correta e confortável, podendo assumir até uma certa desportividade, que é sempre bem-vinda.

O resto do habitáculo é anguloso, destaca-se o ecrã central de 10” polegadas, de boa definição e fácil navegação graças às teclas de atalho, ou à consola central descendente, que com esta muito aconselhável transmissão automática de 8 velocidades recebe um espaço extra para guardar o “trio” – telemóvel, chaves e carteira.

Muito bem equipado na versão Allure, conta já com bancos em couro e tecido, sistema de navegação, câmara de estacionamento traseira, sistema de vigilância de ângulo morto, leitor de sinais de velocidade, assistente de máximo, assim como o cruise-control e limitador de velocidade.

No interior apenas dois pontos que merecem reparo: o excessivo uso de piano black, superfície que com o passar do tempo vai ser alvo de muitos riscos, e a câmara de estacionamento, que continua com uma definição sofrível, o que contrasta com um automóvel tão tecnológico e de aspeto futurista como este.

Passando à condução, o Peugeot 508 SW não revela o aumento de peso, nem qualquer comportamento distinto de ser uma carrinha. Portanto, revela um pisar decidido e confortável, uma das suas melhores valências. O eixo dianteiro insere bem em curva e demostra até alguma propensão dinâmica, contudo, a direção é leve, e ainda bem que assim é, já que a torna numa verdadeira alternativa confortável.

O motor aqui presente, deverá ser o protagonista no que toca às vendas no nosso país. Este 1.5 BlueHDi de 130cv pode ser conectado a uma transmissão manual de seis velocidades, ou esta transmissão automática de oito relações, que aconselhamos vivamente devido à sua suavidade e rapidez, conseguindo extrair o máximo de “sumo” deste propulsor, que consegue consumos bastante comedidos, não chegando aos 6l/100km, mesmo em condução despreocupada.

Quanto a prestações, não se pode esperar um sprinter, contudo, o seu baixo peso de apenas 1480kg ajuda, e mostra que estes 130cv são suficientes para a “puxar”, mesmo com alguma carga. A sua aceleração ao cronómetro passa marginalmente dos 10s, e a velocidade máxima, caso vá circular nas Autobahn alemãs, saiba que é de 210km/h.

Como dissemos, a transmissão ajuda a que não haja muita letargia, e consegue assumir andamentos interessantes, mesmo a velocidades mais elevadas.

Mas o bom desta gama 508 é que a gama de motores é variada, com os diesel a ainda terem mais dois níveis de potência (160 ou 180cv), assim como uma opção a gasolina com 225cv, disponível na versão GT.

No final, a Peugeot 508 SW não é a que conta com maior bagageira ou espaço, nem é a mais dinâmica, mas por outro lado, faz tudo bem, é confortável, poupada e agradável de conduzir, com um bom balanço entre dinamismo e descontração. A questão emocional pesa sempre muito, por isso, a sua estética irá muito provavelmente arrebatar os clientes, que não se importam de perder uns “litrinhos” de mala.


Peugeot 508 1.5 BlueHDi 130 EAT8 Allure

Especificações:
Potência– 130cv às 3750rpm
Binário – 300Nm às 1750rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 10,1s
Velocidade Máxima (oficial): 210km/h
Consumo anunciado – 3,9l/100km
Consumo medido – 5,6l/100km

Preços:
Gama Peugeot 508 SW desde: 35.700€
Peugeot 508 SW Allure desde: 38.500€
Unidade Ensaiada: 42.490€


Clica e vê a nova Peugeot 508 SW em maior definição: 

Outros Peugeot 508, aqui:

Peugeot 508 GT 2.0 BlueHDi 180
Peugeot 508 GT 1.6 PureTech 225
Peugeot 508 1.5 BlueHDi Allure EAT8

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!