Início Ensaios Novo Peugeot 308 1.6 BlueHDi EAT6 Allure

Novo Peugeot 308 1.6 BlueHDi EAT6 Allure

Novo Peugeot 308 1.6 BlueHDi EAT6 Allure
0
0

“Ajustes ao Pormenor”

O Peugeot 308 tem uma carreira invejável, devido a um produto coeso e, por conseguinte, uma boa aceitação por parte do público, recebendo vários prémios incluindo mesmo o de Carro do Ano em 2014, o melhor que uma marca automóvel pode almejar vencer. Portanto, três anos após o seu lançamento, e com as vendas estabilizadas, chegou a altura do modelo que concorre à liderança do segmento C receber um restyling de meia-idade, de forma a permitir que o modelo permaneça bem actual.

Esta mudança teve três pontos base: o estilo, a segurança aliada à conectividade, bem como novidades de propulsores e transmissões. Mas, no caso da unidade ensaiada, ainda só podemos falar nas duas primeiras, por isso, vamos lá!

O exterior recebeu, na sua dianteira, uma pequena intervenção de forma a tornar este modelo mais integrado na gama, com a adopção de uma grelha mais vertical, do estilo das já utilizadas nos novos 3008 e 5008. O capot recebe igualmente um novo desenho com vincos mais pronunciados, dando ao conjunto um aspecto mais robusto e dinâmico, o que é ajudado pelo para-choques, também com novo desenho. Na lateral, bem como na traseira, não existem mais alterações, mas ainda há uma outra novidade, que é a adopção da cor Bege Pyrite que podem ver nas fotos.

O resto das alterações são de pormenor, o que mostra o bom envelhecimento deste modelo, e para as encontrar temos de abrir a porta e entrar no já conhecido i-Cockpit, que se destaca pelos comandos e instrumentação mais orientada para o condutor. Felizmente a marca não mexeu muito, o Peugeot 308 continua a ter um interior moderno, simples e de linhas cuidadas. Isto acontece porque a maioria das funções (e botões) estão “escondidos” dentro do ecrã central de  9,7’ polegadas, que foi o que recebeu mais melhorias no interior, e até que já eram merecidas, tendo em conta outras propostas da gama.

Lá encontramos todo um novo software, mais completo e rápido. Com a inclusão dos sistemas CarPlay e Android Auto torna-se mais conectável, e a navegação também foi alterada. Tem agora TomTom 3D Traffic, que já conta com informações de trânsito. O sistema de rádio digital também já está disponível, bem como a nova câmera de 180º que consegue simular uma vista área que ajuda ao estacionamento. A posição de condução continua a ser a mesma, ou seja, a correta, exigindo, ainda assim, algum tempo até encontrar a posição de condução ideal devido aos amplos ajustes.

No confortável interior, e devido ao grande tecto panorâmico, opcional por 450€, temos ainda uma maior sensação de espaço a bordo. Com boas quotas no que toca a habitabilidade, o Peugeot 308 é um dos automóveis mais espaçosos da sua classe, ainda assim, os passageiros traseiros, nomeadamente o “5º passageiro” tem a dificuldade de ter um túnel central intrusivo. A bagageira é muito generosa, com 470L disponíveis, mas para mais espaço, basta optar pela SW.

Passando para a condução, esta unidade vinha equipada com o já conhecido 1.6 BlueHDi de 120cv auxiliado pela caixa automática de seis velocidade, EAT6, desenvolvida em conjunto com a Japonesa Aisin. Este motor diesel funciona muito bem neste conjunto, com uma grande suavidade, ao mesmo tempo que as prestações estão em bom nível com boas retomas, graças à rapidez da transmissão, mas igualmente aos 300Nm de binário deste motor. Onde este conjunto impressiona é também nas prestações a nível de eficiência, com um consumo misto em torno dos 5,1l/100km.

Na vertente dinâmica, não sofreu alterações e não era, de todo, necessário. Tendo por base a plataforma EMP2 do Grupo PSA, o Peugeot 308 é bastante equilibrado no rácio Conforto/Dinâmica, exibindo pouco rolamento em curva, mostrando-se sempre muito composto e dando confiança ao condutor. Tanto em cidade como em estradas mais sinuosas, o Peugeot 308 é muito ágil, factor que também é ajudado pelo pequeno volante. Quanto ao conforto, está num bom nível, sendo um espelho do que a marca nos tem oferecido, com uma boa tolerância nos maus pisos assim como uma grande capacidade de tracção.

Neste primeiro contacto com o Peugeot 308, não descobrimos todas as novidades, já que algumas delas ainda nem chegaram ao nosso mercado, como é o caso do novo motor diesel. Mas depois deste teste com um conjunto motor/transmissão que já conhecíamos, deu para constatar que a Peugeot apenas alterou o que era estritamente necessário. Se o Peugeot 308 já era um dos melhores do segmento, agora recebe ainda mais atributos para atacar o primeiro lugar…

Peugeot Novo 308 1.6 BlueHDi 120 EAT6 Allure 

Especificações:
Potência – 120cv às 3500rpm
Binário – 300Nm às 1750rpm
Consumo Combinado Anunciado – 3,9L/100km
Consumo Combinado Medido – 5,1L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 10,2s
Velocidade máxima (oficial): 190km/h

Preços:
Peugeot Novo 308 desde: 22.991€
Preço da versão ensaiada: 31.811€
Preço da versão ensaiada c/opcionais: 32.791€

Peugeot Novo 308
16.7 Pontos
O que gostámos mais:
- Consumos - Transmissão - Conforto - Mala
O que gostámos menos:
- Alguns plásticos - Espaço bancos traseiros - Visibilidade traseira
Resumindo e concluíndo:
O Peugeot 308 continua a ser uma das propostas mais interessantes do segmento. Melhora o seu sistema de infotenimento, ao mesmo tempo que recebe novos atributos no capitulo da segurança, bem como novos motores. Recomendamos.
Motorização17
Perfomances16.5
Comportamento17.5
Consumos17.5
Interior16
Habitabilidade16.5
Materiais/Qualidade de construção15.5
Equipamento de Série17
Value for Money16.5

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
6-10: Satisfaz Pouco;
11-15: Razoável;
16-17: Bom;
18-19: Muito Bom;
20: Excelente;

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!