Início Ensaios Nissan Micra 1.5 dCi N-Connecta

Nissan Micra 1.5 dCi N-Connecta

Nissan Micra 1.5 dCi N-Connecta
0
0

 “Intercidades”

O Nissan Micra já foi ensaiado por nós na sua variante a gasolina, e deixou boas indicações, mostrando-se como um dos automóveis que mais evoluiu de uma geração para outra. Gostámos do seu design mais ‘masculino’, do interior agradável e até bem construído, assim como o equipamento generoso. Agora, chega a altura de experimentar o motor mais ‘maduro’, o 1.5 dCi de 90cv, que o torna mais desafogado para sair das cidades, bom para quem tem que passar a ponte todos os dias.

Para começar, temos de dizer que este é um Micra totalmente diferente do que tivemos anteriormente, já que a personalização é extremamente distinta. Por fora, a cor Power Blue junta-se às jantes negras e apontamentos cinzentos nos quatro cantos da carroçaria, tornando-o logo diferente da versão a gasolina que tivemos anteriormente. Por dentro passa-se o mesmo, largamos o laranja e pegamos no azul (350€), estes, que são dois dos quatro ambientes a bordo, o que é ideal para quem gosta de ter as coisas “à sua maneira”. O interior continua confortável, com uma boa posição de condução e um bom arranjo no que toca aos instrumentos, nesta versão N-Connecta que também já vem bem equipada com cruise-control, ar condicionado automático, bem como o Pack NC que conta com a Câmara de visão traseira + Sensores de estacionamento traseiros + Sistema audio BOSE PERSONAL®, opcional por 600€.

Atrás, o espaço cresceu face ao ‘antigo’ Micra, mas é mais aconselhável a apenas dois passageiros, é também cá atrás que surgem dois pontos que podem fazer torcer o nariz a alguns: os vidros têm apenas abertura manual. Sim, mesmo nas versões mais equipadas. O segundo ponto, é que não existem pegas no tejadilho. A bagageira apresenta uma boa capacidade, 300L, sendo possível de aumentar através do rebatimento assimétrico dos bancos traseiros (60:40), não oferecendo, ainda assim, um piso plano.

Em andamento, o Micra é bastante honesto. A um chassis bem afinado e uma direcção rápida e intuitiva, junta-se o motor bem insonorizado, não deixando entrar muito do ruído no habitáculo, vindo do propulsor diesel. Os consumos são uma outra boa surpresa, mantendo-se constantemente abaixo dos cinco litros a cada cem quilómetros. O funcionamento do motor também acaba ele por ser fluído e bastante disponível, conseguindo até boas recuperações devido ao baixo peso do conjunto. A caixa de velocidades também tem nota positiva, que mesmo que seja apenas de 5 velocidades, está bem escalonada e aproveita bem estes 90cv de potência.

Quanto a preços, aqui a coisa torna-se complicada para este dCi, já que o preço aumenta em 4200€, isto se compararmos iguais versões, com o motor a gasolina, também ele de 90cv. Isso quer dizer que apenas compensa para quem faça mesmo muitos quilómetros ao ano, 210.000 para ser mais preciso, o que quer dizer, que se fizer 20 mil quilómetros ao ano, só daqui a uma década é que o diesel começa a ser a escolha lógica. Contando, que o diesel consome praticamente menos 2 litros a cada cem quilómetros…

De qualquer maneira, o Nissan Micra é uma escolha segura, e como já dissemos, “deu um salto enorme” face à anterior geração. A variante diesel é mais frugal, e mesmo nesta versão N-Connecta apresenta um excelente equipamento de série. As falhas que tem, embora não se percebam, são facilmente desculpáveis, face a um produto tão bem conseguido, como este.

Nissan Micra 1.5 dCi 90 N-Connecta

Especificações:
Potência – 90cv às 4000rpm
Binário – 220Nm às 2000rpm
Consumo Combinado Anunciado – 3,2L/100km
Consumo Combinado Medido – 4,7L/100km

Aceleração 0-100km/h (oficial): 11,9
Velocidade máxima (oficial): 179km/h

Preços:
Preço Base Nissan Micra: 14.550€
Preço da versão ensaiada: 21.000€

Review 0
0 Pontos
O que gostámos mais:
Que revolução! É sempre isso que me vem à cabeça quando vejo um novo Micra. Evoluiu em tudo o que precisava, e revolucionou no seu design. Esta versão com o motor diesel é muito frugal, mas a sua grande diferença de preço face ao modelo a gasolina faz pensar.
O que gostámos menos:
- Equipamento - Interio - Comportamento dinâmico - Consumos
Resumindo e concluíndo:
- Vidros traseiros manuais - Diferença de preço face à versão a gasolina - Alguns plásticos
Motorização0
Perfomances0
Comportamento0
Consumos0
Interior0
Habitabilidade0
Materiais/Qualidade de construção0
Equipamento de Série0
Value for Money0
Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!