Início Ensaios Mercedes-Benz E350d Cabrio 4Matic

Mercedes-Benz E350d Cabrio 4Matic

Mercedes-Benz E350d Cabrio 4Matic
0
0

“O último dos Moicanos”

Downsizing. Atualmente, esta expressão está em voga mais do que nunca, até na indústria automóvel, e para a Mercedes-Benz isso não é exceção. Mas hoje não vamos seguir essa norma de “motores pequenos”, e também não vamos testar nenhum AMG. Vamos antes aproveitar para nos despedirmos do belo E350d, ou seja, o 3.5 V6 Bi-Turbo Diesel. Um valentão que cumpriu a sua carreira com um grande profissionalismo e sem mácula, mas que vai dizer adeus para dar lugar a uns mais jovens seis cilindros em linha, que a marca promete serem mais poupados e ecológicos, sem perder performance. Vamos lá começar a despedida, enquanto vos mostro a silhueta mais apetecível do Mercedes-Benz Classe E, o Cabrio.

Cabrio é, para a Mercedes-Benz, um estilo de carroçaria muito relevante, ou seja, para a marca “não ter teto” é um estilo: são seis as propostas deste tipo na marca da estrela, e esta é uma das mais bem conseguidas, uma espécie de “baby Class S”, com uma imagem muito inspirada no topo de gama da marca. As dimensões são igualmente muito generosas, com um comprimento de 4,83m, resultado do facto do Classe E Cabrio ser agora baseado na plataforma do Classe E, coisa que o anterior não era.

Para além de isso lhe dar vantagens quando começarmos a falar do interior, a verdade é que essas dimensões, em conjunto com a nova linguagem de design do construtor germânico, criam aqui um automóvel muito fácil de gostar, misturando nas suas linhas elegância e sobriedade, com uma desportividade e dinâmica em boa medida. Isto deve-se muito ao kit exterior AMG, de onde fazem parte as generosas jantes de 20’’, que também vamos falar mais adiante, já que terão um papel importante na dinâmica e no conforto de rolamento.

Entrar no habitáculo de qualquer Mercedes-Benz Classe E é sempre um prazer, mas neste Cabrio em específico isso sobe ainda mais uns pontos, graças à feliz conjugação de tons, que lhe dão uma aparência muito positiva. O camel dos bancos funde-se com o negro do tablier e do volante, assim como os frisos em alumínio, que harmonizam com a madeira porosa da consola central. Um hino aos sentidos, que encanta à vista e ao toque. Quanto a diferenças, o Cabrio, assim como o Coupe, contam com diferentes saídas de ventilação, inspiradas nas turbinas dos aviões.

O conforto não foi esquecido nesta versão mais lúdica, com o Cabrio a não ser nada “egoísta”, isto porque o aumento de dimensões se resume num crescimento de mais de 11cm na distância entre eixos, o que permite que este Cabrio seja um verdadeiro 2+2, com um maior espaço para as pernas dos passageiros traseiros, assim como para a cabeça e ombros. De qualquer maneira, as costas ainda encontram uma posição algo direita durante as viagens, contudo, nada de preocupante e perfeitamente compreensível num automóvel deste género.

Mas, obviamente, a primeira coisa que fazemos assim que entramos dentro deste Cabrio é mesmo abrir a capota. 100% elétrica e muito rápida, demora apenas 20 segundos a uma velocidade até 50km/h, e aumenta de imediato a sensação de espaço, assim como a de nos sentirmos especiais.

Nos primeiros quilómetros sentimos que a suavidade deste bloco convida a longas viagens, e mesmo com um peso superior ao 220d de 194cv (1975kg), este motor consegue aliar essa suavidade a boas performances, acelerando dos 0 aos 100km/h em 6,1s, ao mesmo tempo que atinge uma superior velocidade de ponta, a “tipicamente alemã”: limitada a 250km/h.

Por outras palavras, e fazendo umas contas, se compararmos com o mais racional 220d, este 350d oferece-nos mais 64cv e 220Nm de binário. Sim, o alívio e disponibilidade devem-se aos generosos 620Nm de binário que estão (praticamente) de imediato disponíveis debaixo do nosso pé esquerdo, graças também a uma rápida e bem “afinadinha” transmissão automática 9G-Tronic, que conta mesmo com patilhas atrás do volante. Contudo, este motor acarreta um problema, ou melhor, dois: consumos e preço.

Os consumos sobem da casa dos 6l/100km do motor diesel menos potente, para uns mais exagerados 8,3l/100km neste V6. O preço? Aumenta também, algo como… 18.000€.

Dinamicamente falando, o Mercedes-Benz Classe E Cabrio não é para aquele cliente que pretende atacar uma estrada de serra com a “faca nos dentes”, para isso a marca tem outras propostas bem mais interessantes. Ainda assim, e graças ao Dynamic Select que nos permite escolher as variadas experiências de condução, desde o mais eficiente ECO, passando pelo Confort e os mais dinâmicos Sport e Sport+, este Classe E Cabrio assume várias personalidades. No nosso ensaio rolamos 95% do tempo no modo Confort, o que mais se enquadra nesta proposta, e logo aí é possível sentir a potência deste propulsor, ao mesmo tempo que o sistema de suspensão pneumática assegura sempre o melhor amortecimento, qualquer que seja o piso.

Ainda assim, as jantes de 20’’, embora não penalizem o conforto, fazem-se sentir em buracos de maior dimensão, não pela suspensão, mas pelo som.

Ainda aproveitando o tema conforto, vamos falar do AirScarf e AirCap.

O primeiro já é conhecido (ler ensaio ao SLC250d) e aquece-nos o pescoço, como se se tratasse de um cachecol de ar, dando um excelente prazer de condução com a capota aberta, mesmo nos dias mais frios. O AirCap é novidade, e é composto por duas peças: o deflector de ar atrás dos bancos traseiros, e uma lamela no topo do para-brisas. Graças a estes dois elementos, é notória a redução do turbilhão de ar no habitáculo, conseguindo ter conversas a bordo, mesmo a velocidades elevadas.

Agora, como sumário, é quase certo que chega a este ponto do ensaio e diz:
“Obviamente que ia para o 220d, e com esses 18.000€ a mais metia para opcionais”.

Ao que eu respondo:

“Muito bem, resposta certa!”

Respondo isso também porque esta versão 350d já não está disponível entre nós, e porque o 220d já consegue prestações muito aceitáveis, assim como uns consumos bem inferiores. Porém, e se para si as prestações são uma verdadeira prioridade, vêm a caminho novos motores, onde se inclui o excelente 400d de 340cv/700Nm que podemos encontrar no novíssimo CLS, assim como o Classe S que nos levou até Beja, numa roadtrip memorável que podem ler aqui.

“Ver as estrelas à noite, ou sentir o sol na cabeça não é a sua onda?”
Então conheça o Mercedes-Benz E Coupé. Vai gostar!

Mercedes-Benz Classe E350d Cabrio 

Especificações:
Potência – 258cv às 3400rpm
Binário – 620Nm às 1600 ~ 2400rpm
Aceleração dos 0-100 (oficial): 6,1s
Velocidade Máxima (oficial): 250km/h
Consumo Combinado Anunciado (Medido) – 6,5l/100km (8,3l/100km)

Preços:
Mercedes-Benz Classe E Cabrio desde: 65.350€ (E220d)

Carregue nas fotos e veja este Mercedes Classe E Cabrio em detalhe:

Mercedes-Benz E350d Cabrio
17.3 Pontos
O que gostámos mais:
- Conforto - Qualidade - Estilo interior e exterior - Motor/Caixa
O que gostámos menos:
- Consumos face ao E220d - Bancos traseiros demasiado direitos - Preço quando abusamos de opcionais
Resumindo e concluíndo:
O Mercedes-Benz Classe E Cabrio é destinado a um cliente especifico que procura o melhor. Esta proposta é feita para não o desiludir, não falhando praticamente em nada. O motor V6 diesel prepara-se para dizer adeus, mas continuamos felizes já que será substituído pelo "super 400d"!
Motorização18
Perfomances17.5
Comportamento17.5
Consumos15.5
Interior19
Habitabilidade15.5
Materiais/Qualidade de construção18.5
Equipamento de Série17
Value for Money17.5

“A pontuação acima é totalmente da nossa opinião. Esta, tem a ver com o modelo e versão ensaiadas, tendo em conta o segmento onde a mesma se insere.”

Legenda da pontuação:
0-5: Mau;
6-10: Satisfaz Pouco;
11-15: Razoável;
16-17: Bom;
18-19: Muito Bom;
20: Excelente;

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!