Início Ensaios Mercedes-Benz C200d 9G-Tronic

Mercedes-Benz C200d 9G-Tronic

Mercedes-Benz C200d 9G-Tronic
0
0

“VIP: Versão Importante para Portugal” 

Aqui temos o renovado Mercedes-Benz Classe C, e para muitos de vós que acham que este automóvel pouco mudou, enganem-se. Não são apenas novos faróis e para-choques, nem apenas um novo volante ou um ecrã maior, é muito mais que isso, é uma verdadeira revolução que se passou “debaixo da pele”, e que a marca alemã diz mesmo ter sido responsável pela alteração de mais de 6 mil peças na sua conceção.

Depois de tanta promessa, é óbvio que o interesse aumentou, e se isso não fosse já o suficiente, a versão que aqui trazemos tem uma ainda maior importância. Não, não é um AMG. É sim algo que poderá aumentar ainda mais as vendas no nosso país, já que é a variante 200d, um 1.6 diesel com uma potência bastante honesta.

Descubram connosco este renovado Classe C.

Na vertente estética, o Mercedes-Benz Classe C opta pela filosofia inaugurada pela marca há já alguns anos, conseguindo uma perfeita simbiose entre a desportividade necessária para cativar os novos clientes, e o aspeto clássico que a marca pretende continuar a ter, para também garantir que os seus fiéis clientes permaneçam no seu leque. O Classe C é um perfeito exemplo disso, com uma forma suave e elegante, sem esconder o seu terceiro volume. Com um estilo que também pode muito bem ser explicado como: um Classe E, em tamanho small.

As diferenças são evidentes na dianteira, onde os novos faróis Multibeam LED prometem (e cumprem) iluminar de forma irrepreensível mesmo as mais escuras das noites, enquanto o desenho da grelha e o para-choques foram também revistos, dando aquele aspeto mais dinâmico. Na lateral podemos encontrar umas novas jantes, integrantes deste pack AMG. Na retaguarda, bem mais sóbria é a mudança do arranjo interno dos farolins LED.

Continuando na busca pelas diferenças, obviamente temos de passar para o interior, e é talvez aí que são encontradas as maiores diferenças visuais face ao Classe C “pré-restyling”. Assim à primeira vista, o bem construído tablier apresenta um novo ecrã central de maiores dimensões, como tem sido apanágio da marca, tal como o opcional display 100% digital do painel de instrumentos, que pode contar com três temas, passando a ser mais completo e de fácil leitura. O volante é também ele da “nova geração”, estando mais enquadrado no estilo da marca, e completo com comandos touch e novo agrupamento dos botões, como o caso do cruise-control, perdendo o seu manípulo dedicado na parte esquerda da coluna de direção.

O interior prima pelo cuidado na montagem, e esta variante merece ainda o destaque pela sua configuração muito bem conseguida, juntando a uma madeira de carvalho, a pela Artico Castanho ‘Saddle’ que lhe dá “pontos extra” no que toca ao estilo, e torna este interior ainda mais acolhedor. Quanto ao espaço, à frente, sem problemas, com os bancos a terem múltiplos ajustes.

Já os lugares traseiros estão em linha com os seus “concorrentes do costume”, ou seja, o espaço para as pernas é suficiente, notando-se um espaço para a cabeça algo limitado caso a altura exceda os 1,85m. É também aconselhável o uso a dois adultos, devido ao túnel central elevado que de certa forma inviabiliza o lugar central. Mais espaço “aqui atrás”? O Classe E é a resposta.

Contudo, existe um útil apoio de braço central com arrumação, que se transforma numa das partes que fazem o rebatimento (40:20:40), aumentando a mala com 455L de capacidade.

Passemos para a condução, e nisso o Classe C é um pouco o espelho do seu aspeto. Explicando melhor, tem um bom balanço entre o conforto e a suavidade, com as reações rápidas e desportivas com que o cliente que escolhe um modelo deste género espera contar.

A suspensão é informativa, e a direção é rápida, comunicando bem com o condutor, fator que é também conseguido graças à tração traseira, que lhe garante pontos extras na dinâmica, deixando às rodas dianteiras apenas a tarefa de curvar, e às rodas posteriores a tarefa de depositar a potência no asfalto. Potência essa que vem do “tal” bloco que falámos acima. O novo 1.6 diesel, desenvolvido exclusivamente pela Mercedes, é a resposta a uma necessidade que a marca tinha num motor de baixa cilindrada diesel, disponível em duas versões (180d de 122cv). Esta, de 160cv, permite um custo mais baixo de aquisição, assim como uma tributação menos exagerada e consumos baixos.

E é mesmo aí que este C200d se destaca, nos consumos. Orquestrado por uma caixa automática de 9 velocidades, consegue oferecer uma boa experiência de condução, com os 160cv a estarem disponíveis desde baixa rotação e de forma linear, ao mesmo tempo que garante baixas rotações em Autoestrada, conseguindo rolar a 120km/h a cerca de 1600rpm. Isso garante baixos consumos, que mesmo nesta unidade que contava com 450km na altura em que a recolhemos, conseguiu fazer um consumo de 5,3L a cada cem quilómetros, sem quaisquer cuidados de maior. Impressionante.

O conforto acústico não foi deixado ao acaso, e o funcionamento (desde que não seja a altas rotações) é bastante silencioso, não se notando vibrações de maior. O preço é também ele uma grande vantagem. Para se ter uma noção, o C220d, com 194cv, custa mais 2.500€ que este C200d, isto porque o ISV praticamente duplica. Algo que também é sentido ao ano, num decréscimo de 111€ no que toca ao “selo” a favor desta variante de 160cv.

O certo é que o C200d é uma boa opção para quem quer um Classe C, mas gosta ainda assim de poupar, e empregar esse valor que o diferencia do 220d em equipamento. Este motor mostra-se capaz para a maioria das situações, e é um bom aliado e um equilíbrio entre a potência dos 194cv do 220d e os 122cv do 180d.

É como dizem: “no meio, está a virtude”. Aqui, até que não parece estar errado.

 


Mercedes-Benz C200d 9G-Tronic AMG Pack 

Especificações:
Potência– 160cv às 3800rpm
Binário – 360Nm às 1600 ~ 2600rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 7,9s
Velocidade Máxima (oficial): 226km/h
Consumo anunciado – 4,2l/100km
Consumo medido – 5,3l/100km

Preços:
Gama Mercedes Classe C desde: 40.800€
Preço da versão ensaiada: 44.250€
Preço da unidade ensaiada: 66.180€


Carrega nas fotos para veres melhor este Mercedes Classe C:

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!