Início Notícias Mazda com revisão profunda na sua gama para 2019!

Mazda com revisão profunda na sua gama para 2019!

Mazda com revisão profunda na sua gama para 2019!
0
0

“Uma gama de mudanças”

A Mazda apresentou aos jornalistas a sua gama para 2019, com novidades em diversos tipos de modelos. As alterações prendem-se, na maior parte, com novas motorizações, assim como ligeiros restyling para manter a jovem aparência que a marca apresenta.

Para começar, o CX-3. O pequeno crossover tem sido um verdadeiro sucesso para a marca japonesa, ultrapassando as melhores expectativas. No design pouco muda, já que a imagem continua bastante moderna. Ainda assim, podemos encontrar uma nova grelha dianteira, novo arranjo das óticas, com elementos LED, jantes de liga leve com novo desenho, assim como a nova cor Soul Red Crystal, que já revestia o “SUV Maior” CX-5 e o “roadster” MX-5.

Passando para o interior, continuam a ser de detalhe as diferenças face à versão do ano passado. Os revestimentos ganham melhores materiais, assim como uma consola central redesenhada onde aparece o travão de mão elétrico, ganhando assim um espaço de arrumação extra no interior.

No capitulo mecânico é onde se encontram as maiores alterações, com o CX-3 a receber dois novos motores, um novo diesel 1.8 Skyactiv-D com 115cv que promete consumos de 5,2l por cada cem quilómetros, e um funcionamento muito mais suave face aos seus rivais, graças a inovações como pistões com cabeças recortadas e injetores de elevada dispersão.

O outro motor que também conta com essas inovações é o gasolina, o bloco 2.0 SkyActiv-G de 121cv. Este propulsor, sem turbo e sem filtro de partículas, tem uma potência comedida, e pretende usar todo o seu “pulmão” de forma a apresentar consumos mais baixos, sem esquecer a dinâmica durante as condições reais de utilização. Num primeiro contacto revelou ser bastante suave, e muito bem insonorizado, uma grande surpresa num mercado em que a potência aumenta, enquanto a cilindrada desce.

No que toca ao chassis, o CX-3 viu as suas ligações ao solo serem revistas, com um novo acerto da suspensão de forma a melhorar o conforto, garantindo dessa forma uma superior sensação de estabilidade. A direção também foi otimizada, assim como os ruídos aerodinâmicos.

No capítulo da segurança e conforto, destaque ainda para a inclusão do sistema Apple Car Play, assim como uma versão atualizada do Advance Smart City Brake Support, que consegue desta forma detetar peões à noite, e assim travar completamente o veículo, ou atenuar a velocidade da colisão. O cruise-control passa também a ter a possibilidade de contar com função Stop and Go, e o retrovisor recebe o merecido sistema anti encadeamento, que faltava até agora.

Quanto a preços, o Mazda CX-3 2019 começa nos 27.032€ para as variantes com motor diesel 1.8 SkyActiv-D de 115cv. O 2.0 a gasolina vê o seu preço inicial começar nos 29.358€, numa gama que continua a estar em duas versões, Evolve e Excellence, ainda que exista uma edição especial Advance, tal como no Mazda 2 (ler ensaio).

Passando para o outro SUV da marca, o CX-5, as mudanças são bem mais ténues. Na estética, apenas conseguimos constatar umas novas jantes, com um diferente desenho e acabamento. O interior também não contou com alterações de maior, apenas no desenho e suporte dos bancos que foram melhorados e passam a contar com ventilação, para além do aquecimento de que já dispunham. As outras diferenças são encontradas no sistema MZD Connect, que passa a contar com sistema CarPlay (assim como em toda a gama), para além de câmara de estacionamento 360º.

O mais importante está mesmo presente debaixo do capot, com o motor 2.2 Skyactiv-D (Diesel), que já conhecemos, a contar com melhorias no binário e potência (passa a ter, na sua versão mais potente, 184cv), assim como um sistema de tratamento das emissões de gases poluentes. O CX-5 recebe dois motores novos, os mesmos que poderemos encontrar no Mazda6 que falaremos mais à frente. Trata-se do 2.0 e 2.5 SkyActiv-G, a gasolina, com uma potência respetiva de 165 (4×2) e 194cv (4×4). De ressalvar ainda que o motor 2.5 conta com sistema de desativação de cilindros para uma superior economia de combustível.

Já que falámos no Mazda6, vamos saber o que mudou neste modelo. E foi muita coisa…

No exterior é fácil identificar as diferenças, existem mais elementos cromados, e menos plástico. A grelha está mais inspirada na do CX-5, conferindo assim um aspeto mais desportivo, sensação aumentada ainda mais graças aos novos faróis. A traseira recebe, igualmente, alterações.

No sedan, destaque para o friso da mala que se “funde” com os grupos óticos em LED, assim como para-choques revisto, e que, tal como na frente, elimina o plástico negro em detrimento do mesmo tom da carroçaria. Basicamente na carrinha acontece o mesmo, melhorando a sua aparência atlética.

Mas se no exterior o Mazda6 agrada, é no interior que as diferenças se destacam. Caso para dizer que mais parece um novo modelo, em vez de um restyling.

Este, que é o terceiro interior do Mazda6, é agora mais esguio e moderno, mais simples e com melhores materiais, podendo mesmo contar com cores mais exóticas, como a pele branca ou castanha. O painel de instrumentos foi redesenhado, e recebe ao centro o velocímetro, ocupando o lugar que era até agora tomado vago pelo conta-rotações.  Aqui, convém ainda referir que o Mazda6 conta com novos indicadores digitais, dotando-o de um head-up display mais completo. No capítulo da segurança, e tal como o CX-5, passa a contar com câmara de estacionamento 360º, assim como cruise-control adaptativo “stop&go” e luzes LED adaptativas, que permitem uma comutação e ajuste dos máximos graças aos 20 LED em cada farol.

No que toca a motores, é a mesma gama do CX-5. Um diesel com potência que varia entre os 150 e os 184cv do bloco 2.2 Skyactiv-D, e os gasolina que garantem 140cv para o 2.0 e 194cv para o 2.5 Skyactiv-G, sendo este agora o Mazda mais potente de toda a gama.

E nem o MX-5 escapou a estas alterações.

O MX-5 com o motor 1.5 SkyActiv-G passou quase incólume. A potência aumentou um cavalo, passando agora a ter 132cv, num exterior onde a única diferença está presente nas jantes, que agora podem ser pretas, e na capota, que no soft-top pode assumir um tom castanho. O interior está praticamente igual, apenas conta com uma importante diferença: o ajuste telescópico da coluna de direção, garantindo uma posição de condução perfeita para desfrutar do MX-5.

Mas, a grande novidade é mesmo o bloco 2.0 Skyactiv-G, que debita agora 184cv, com uma combustão melhorada e uma aceleração mais suave. Um verdadeiro “upgrade” que promete tornar o MX-5 num verdadeiro desportivo, e não apenas um roadster de passeio.

Agora, vamos a preços.

Para o Mazda CX-3 que falámos inicialmente, o diesel passa a ser o mais barato da gama, no entanto os seus preços variam entre os 27.032€, até aos “proibitivos” 48.342€ para a versão mais equipada, com tração às quatro rodas. Já o gasolina, começa nos 29.358€ até aos 30.163€.

O CX-5 tem uma gama mais complexa. Os motores a gasolina começam nos 32.383€ para a variante de 165, e podem ir até aos 55.624€ no 2.5 Skyactiv mais equipado.

O diesel tem um preço inicial de 36.338€ para o 150cv, podendo ir até aos 56.009€. O diesel mais potente, exclusivamente disponível em AWD, começa nos 57.999€ e termina nos 67.625€.

Passando para o Mazda6, o gasolina é o único disponível nesta altura de lançamento e tem preços entre os 41.591€ e os 42.158€.

Para terminar, o MX-5, o Soft-Top continua com um preço comedido, começando nos 25.302€ para o motor 1.5 de 132cv, com o RF a ter início nos 29.908€. O motor 2.0 de 184cv, começa nos 39.667€ para o Soft-Top e os 42.192€ para o RF.

 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!