Início Ensaios Mazda CX-5 2.5 SkyActiv-G ‘Special Edition’

Mazda CX-5 2.5 SkyActiv-G ‘Special Edition’

Mazda CX-5 2.5 SkyActiv-G ‘Special Edition’
0
0

“Muito especial”

O Mazda CX-5 tem um ‘peso’ substancial no que toca a vendas para o construtor japonês na Europa, é responsável por 25% das vendas totais, o que faz dele o modelo mais vendido. O CX-5, pode não ser o que nos lembramos da “Mazda do passado”, mas apresentou muitos elementos responsáveis por fazer da marca o que ela é hoje, sejam os motores e construção SkyActiv (que beneficia a leveza e eficiência), seja pelo design Kodo que tanto tem agradado, ou mesmo por ter estreado a cor Soul Red, quando foi lançado na sua primeira geração em 2012.

Hoje, na sua segunda geração, o Mazda CX-5 recebeu um ligeiríssimo restyling que lhe conferiu diferenças basicamente no que toca aos motores, e por isso temos aqui um bem especial e que infelizmente será raríssimo nas nossas estradas. Trata-se do CX-5 2.5 SkyActiv-G com 194cv. Um motor a gasolina com esta cilindrada só pode ser muito especial…

Antes de ir a pormenores, temos de ressalvar que este modelo está a envelhecer muito bem, também tem pouco tempo de mercado, mas o seu carácter expressivo típico dos modelos da marca ajuda a que isso vá acontecer. A sua frente elevada e com a grelha generosa mistura a desportividade de linhas, com a “robustez e força” que um SUV deste tipo necessita. A lateral é elegante e fluida, a destacar-se aqui pelas novas jantes desta versão “Special Edition”, a única que está disponível para este “enorme” propulsor.

A secção traseira não conta com diferenças, destacando-se pelos originais farolins traseiros em LED com interessante assinatura luminosa, enquanto a desportividade é assegurada pelo spoiler e dupla saída de escape.

Passando para o interior, já existem diferenças. Para começar, os bancos estão mais envolventes e confortáveis (já o eram), mas agora contam com melhores ajustes e suporte, sendo nesta versão exclusivos seja pela sua pele castanha, seja pela possibilidade de poderem ser aquecidos ou arrefecidos. O painel de instrumentos foi revisto, e agora conta com uma área digital que abrange o velocímetro, com a possibilidade de ser personalizado. Mais completo e moderno.

Na consola central podemos encontrar novos botões rotativos, assim como comandos da climatização. Foi tido em conta novos espaços de arrumação, enquanto o interior continua com uma qualidade sem mácula, bem construído e com materiais nobres, juntando a pele, em muitos elementos, com a madeira, que a Mazda diz mesmo ser cuidada de forma artesanal.

Para além disso, o sistema de infotenimento recebeu dois importantes elementos, como é o caso dos sistemas Apple CarPlay e Android Auto (algo que tínhamos sentido falta desde que o testámos a primeira vez na sua apresentação), assim como a nova câmara de visão aérea que cria uma perspetiva 360º do SUV, de forma a ajudar nas manobras e estacionamentos.

A panóplia de equipamento de série é super vasta, onde se pode mesmo encontrar o cruise-control adaptativo com função Stop & Go, alerta de transposição involuntária de via, sistema de luzes de máximos adaptativo, sistema de leitura de sinais de trânsito, assistente de travagem automática em cidade, entre muitos elementos que aumentam a segurança e o conforto. Basicamente, CX-5 Special Edition quer dizer: “Tem tudo, e mais um par de botas!”

Minto, não tem nenhum par de botas, mas tem tudo…

Ainda no interior, cumpre bem no espaço disponível, mesmo não sendo referência. Os bancos traseiros são largos e confortáveis, dispondo de uma boa altura em relação ao tejadilho. O bom espaço para as pernas e pés é garantido, mesmo que o túnel central seja algo elevado e condicione um pouco o passageiro central. Quanto à bagageira, tal como o resto do espaço a bordo, não é a maior do seu segmento, mas conta com um bom acesso, e 477L de capacidade.

Mas o que importa aqui é: que tal se porta o novo motor a gasolina?

Digo-vos, para mim, que num “mundo perfeito” este é o motor que todos deveríamos poder ter debaixo do capot do CX-5. Isto porque, basicamente, eu já ligo um SUV sabendo que terá um motor diesel, já estou habituado a carregar no botão Start e ouvir logo o típico barulho do motor preferido dos Portugueses.

Contudo, aqui, o silêncio e a suavidade imperam.

O motor 2.5 SkyActiv-G é bastante linear, oferecendo muito prazer de ser utilizado. Não é explosivo devido a não ter turbo, mas a sua gama de rotações mais ampla acaba por revelar um lado mais desportivo deste modelo, mais ainda quando selecionado o modo Sport. Dessa forma conseguimos aproveitar o bem afinado chassis do CX-5, que mesmo sendo um SUV não perde a “alma” mais dinâmica dos seus companheiros de gama.

A caixa automática é a única disponível na gama, de seis relações. Sim, poderia ter mais relações, mas esforça-se por aproveitar bem as potencialidades do motor e consegue garantir uma boa disponibilidade deste bloco quatro cilindros. Fazia falta um modo ‘coasting’ em descidas ou desacelerações, o que trabalharia muito bem em conjunto com a desativação de cilindros, que este motor já tem, e que faz reduzir os consumos quando não necessitamos de uma grande dose de força.

Ainda assim, e como esperávamos, este Mazda CX-5 não é propriamente um campeão de médias de consumo, tendo terminado este ensaio com o computador de bordo a marcar 8,7l/100km. Exagerado? É um valor elevado sim, mas compreensível tendo em conta a dimensão deste Mazda, e os 194cv do motor a gasolina. E sendo sincero, em condições similares, os pequenos motores a gasolina talvez fizessem menos 1,5l/100km ou ainda mais aproximado a isto. Lembrem-se que também tem tração integral…

Normal na marca nipónica é a boa afinação da direção, bastante direta e precisa, com um tato agradável, ao que se junta ainda uma suspensão bem trabalhada, suave, mas sem adornar demasiado, absorvendo bem as irregularidades sem nunca ‘massacrar’ os passageiros.

Nesta unidade, junta-se o binómio de potência elevada com tração integral, o que oferece uma dose extra de diversão (e confiança) ao volante, com este Mazda CX-5 a nunca se virar contra quem vai ao volante, sendo sempre neutro nas suas reações. Dos melhores SUV para quem gosta de conduzir.

Agora já sei, estão a pensar: “imagino o preço deste “bichinho”, com um motor deste tamanho”.

Felizmente o preço até se pode dizer que é uma surpresa, já que nesta unidade equipada “até aos dentes” (minto, não tem dentes), com um motor 2.5 de 194cv, transmissão automática e tração integral, pouco passa dos 55.000€. Mesmo assim acha caro? Configure então um pequeno crossover da moda, das marcas ‘premium’, e diga-me como fica o preço com um motor “pequenito”…


Mazda CX-5 2.5 SkyActiv-G AWD AT Special Edition 

Especificações:
Potência – 194cv às 5700rpm
Binário – 256Nm às  3250rpm
Consumo Combinado Anunciado – 7,2L/100km
Consumo Combinado Medido – 8,7L/100km

Aceleração 0-100km/h (oficial): 8,0s
Velocidade máxima (oficial): 194km/h

Preços:
Mazda CX-5 desde: 36.338€
Unidade testada: 55.624€


Descobre este Mazda CX-5 em detalhe: 

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!