Início Ensaios Fiat Tipo SW 1.3 Multijet Mirror

Fiat Tipo SW 1.3 Multijet Mirror

Fiat Tipo SW 1.3 Multijet Mirror
0
0

“Ator secundário”

Não são poucos os momentos da nossa vida em que os “atores secundários” são importantes. Não entenderam? Então imaginem uma equipa, muitas das vezes apenas vemos e comemoramos os feitos dos protagonistas, sejam eles jogadores, pilotos ou nadadores. Mas para chegarem ali, tiveram uma importante ajuda quer tenha sido dos seus treinadores, engenheiros ou mesmo de familiares ou amigos.

Pode parecer que estou a divagar um pouco neste início de ensaio, mas o Fiat Tipo é um “ator secundário” dentro da família Fiat, mas é um “ator principal” no que toca a vendas. Não é o primeiro modelo que nos vem à cabeça quando pensamos na gama atual da marca, mas é sem dúvida um dos que ajudou a alicerçar as vendas e voltou a trazer a importante construtora italiana para os TOP de vendas globais, e não são precisos muitos minutos nas nossas estradas para constatar isso.

Pois bem, o Fiat Tipo é um modelo de segmento C, que “nasceu” com o objetivo de oferecer um produto honesto, com espaço, equipamento e segurança, por um valor inferior ao dos seus rivais. O que até é inteligente, já que com isto consegue-se cobrir mais mercados, nomeadamente os mercados do Médio Oriente e África (EMEA), e ainda alguns pontos menos conseguidos que são desculpados pelo seu preço mais baixo.

De qualquer maneira, olhando para esta Fiat Tipo SW não podemos dizer que seja um modelo espartano, ou desagradável à vista. O seu desenho até é inspirado e com toques italianos, com linhas suaves e sóbrias, e uma imagem que acaba por não ser anónima. Nesta versão especial Mirror isso prova-se, destacando-se no exterior pelas capas dos espelhos em cromado, assim como uma cor exclusiva Azul Valencia, ou ainda pelas jantes de 16’’ de série, que podem aumentar uma polegada em opção.

Mas é no interior que a Fiat Tipo começa a justificar a sua escolha, com um amplo espaço para cinco passageiros, assim como para respetivas bagagens, que nesta variante SW ascende aos 550L de capacidade (+110L que o Hatchback). Quantos aos materiais, são mais rijos em muitos locais onde já não estamos habituados, e a sua montagem apresenta algumas falhas. Também não podemos esperar ir a uma conhecida cadeia de hambúrgueres americana, e esperar por comida cuidada e gourmet.

De qualquer maneira, não existiram ruídos parasitas de plásticos durante este ensaio, revelando solidez no conjunto, mesmo em pisos mais maltratados. O que gostámos uma vez mais foi da posição de condução, correta e confortável, perfeitamente familiar.

Quanto a equipamento, não falta nada de série, com o ar condicionado, cruise control e sistema multimédia com possibilidade de “espelhar” smartphones Apple e Andoid. Se isso não for suficiente, o Fiat Tipo pode ser personalizado, e que no nosso caso contava com o Pack City, que por 500€ oferece sensores de luz e chuva, assim como câmara e sensores de estacionamento traseiros, ou espelho retrovisor electrocromático. E se pensam que o Fiat Tipo é um produto “barato”, saibam que podem mesmo contar com faróis de Xenon (800€).

Quanto a motores, o Fiat Tipo Mirror tem dois disponíveis: o gasolina 1.4 de 95cv e um diesel, este que aqui está presente, o 1.3 Multijet com o mesmo nível de potência, conhecido não pelas suas performances, mas pelo consumo muito baixo.

Nesta carroçaria mais generosa nota-se essa baixa cilindrada, pedindo ao condutor toadas mais calmas, mas como tem sido habitual, mesmo aqui, o computador de bordo apresenta (com muita facilidade) consumos abaixo dos cinco litros a cada cem quilómetros. Depois de “embalada”, a Fiat Tipo permanece em velocidades de cruzeiro sem problema, levando-nos por várias vezes a procurar uma “sexta” relação, algo que este Fiat Tipo SW 1.3 Multijet de 95cv não tem, contando apenas com 5 relações, ao contrário da variante 1.6 Multijet de 120cv que já testámos, na altura na versão S-Design.

Quanto ao comportamento, é seguro e benigno. Um verdadeiro caso de que não entusiasma, mas também não desaponta. A suspensão tem uma boa tolerância e absorção de irregularidades, e a direção destaca-se pela sua leveza em cidade, graças ao modo City, elemento que a Fiat já há muitos anos disponibiliza nos seus modelos.

Portanto, depois de tudo isto, quanto acha que custa uma carrinha familiar, com bastante espaço quer para os ocupantes ou bagagens, um motor diesel poupado e um equipamento honesto? Pois bem, praticamente o que um automóvel de segmento abaixo custa, com um preço para esta Mirror que começa abaixo dos 22 mil euros, e que com estes opcionais a mantém a um preço bastante comedido: 23.202€

Está percebido então este “ator secundário”? Do que se precisa mais? É um cavalo de batalha que a Fiat tem, e que segura muitas vendas, seja para cliente particular ou sobretudo para o mercado das frotas.


FIAT Tipo SW 1.3 Multijet 90 Mirror

Especificações:
Potência– 95cv às 3750rpm
Binário – 200Nm às 1500rpm
Aceleração do  0-100 (oficial): 12,3s
Velocidade Máxima (oficial): 180km/h
Consumo anunciado  – 3,7l/100km
Consumo medido – 5,0l/100km

Preços:
Gama Tipo SW desde: 17.500€
Versão ensaiada: 22.100€
Unidade testada: 23.207€


Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!