Início Carburadores Estoril Classic Festival

Estoril Classic Festival

Estoril Classic Festival
0
0

“A festa voltou ao Estoril!”

No passado fim de semana, o Autódromo Fernanda Pires da Silva presenciou uma viagem ao passado, num evento criado pelo Estoril Classic que marcou o regresso da festa que é a Fórmula 1 a este circuito. Além da F1, pôde-se ver alguns dos automóveis históricos que marcam presença em festivais emblemáticos como o Le Mans Classic, o Monaco Historique e Silverstone GoodWood! Para os mais graúdos foi uma oportunidade para reviverem algumas memórias do passado e, para os mais miúdos, foi uma forma de sentirem na pele todas as histórias que os mais antigos contam, como a primeira vitória do piloto Ayrton Senna ter sido no Estoril.

Desde miúdo que o meu pai me conta as peripécias dos pilotos Nikki Lauda e Alain Prost ao comando do McLaren MP4/2, no circuito do Estoril, de como o autódromo ficava apinhado em todo o seu redor, de como ia com os amigos num Morris Marina e ficavam em frente ao final da recta, ao sábado, para ver a qualificação e os troféus monomarca que existiam, e passavam a noite a dormir dentro do carro, para no domingo assistirem à grandiosa festa que era a Fórmula 1 nos anos 80. Que inveja!

Fui no domingo e, embora tenha chegado tarde e partido cedo, este evento permitiu-me sentir na pele alguns dos momentos vividos pelo meu pai (e pais de outrém) e, verdade seja dita, nunca vi as bancadas tão cheias.

“A afluência ao Estoril foi tão grande que era impossível não respirar motores, era impossível não sentir a adrenalina, era impossível não sentir o público ao rubro!”

Um verdadeiro ambiente de festa! Quando cheguei, estava a começar a exibição”Rally de Portugal” com um slalom na recta e vários veículos históricos, de onde destaco a presença de um Abarth 131 pilotado pelo, nada mais, nada menos, carismático piloto Markku Alen! Uma verdadeira alegria para abrir o apetite para a “FIA Masters Historic Formula One” que se seguiu. O arranque em largada destes monolugares de 1966 até 1985, com motores de 3 litros, foi magnificamente ensurdecedor e obrigou alguns visitantes acabados de chegar a acelerarem o passo, já sabiam o que estavam a perder…

O dia ainda prosseguiu com o “FIA Lurani Trophy” onde se podia ver a evolução destes monolugares de uma configuração de motor dianteiro para uma configuração de motor traseiro, como se viu nalguns Lotus presentes em pista, continuou ainda com o “FIA Masters Historic Sports Cars”, de onde destaco o andamento do Abarth-Osella PA1, o mais rápido em pista, dos Lola T70 mk3b e ainda, de um Lotus Europa que, infelizmente, sofreu um acidente no fim da prova. Apesar de não ter presenciado, o dia acabou com o “HGPCA Formula 1 Pre-1966” e com o “Iberian Touring & GT Cars”, cujos carros regressam nos dias 11 e 12 de Novembro ao Autódromo do Estoril para a prova “Iberian Historic Racing”.

Não acabei o dia a dormir num Morris Marina, nem vi as picardias saudáveis entre Prost e Lauda, mas saí contente do Estoril, a paixão automóvel não se apaga do povo português e a afluência e emoção vivida neste fim de semana provam isso mesmo. Seria excelente ver um regresso da prova rainha do desporto automóvel a terras lusas, não me refiro especificamente ao Autódromo do Estoril, embora seja o que tem mais valor emocional e o que mais gostaria de ver a receber este evento, mas as obras necessárias desmotivam os investidores…

Ainda assim, sabendo que o Autódromo Internacional do Algarve possui a homologação máxima por parte da FIA… Porque não?

Rodrigo Inocêncio Fotógrafo e colaborador do Motor O2, tem 26 anos e é um apaixonado pelo mundo automóvel desde que veio a este mundo, sendo que ainda mal falava e já apontava o dedo e dizia o nome das marcas! Aprecia condução pura e emotiva e novas tecnologias, pelo que o seu gosto automóvel é tão variado que tanto adora um automóvel tão puro como um Morgan 3 Wheeler, como adora algo tão hi-tech como um Audi A8.