Início Ensaios Hyundai Kauai Hybrid Premium

Hyundai Kauai Hybrid Premium

Hyundai Kauai Hybrid Premium
0
0

“Mais um para a festa!”

A história do Hyundai Kauai já se escreve desde 2017, e depois dos motores a gasolina, surgiu no nosso mercado a variante elétrica, que surpreendeu. Como não há duas sem três, o ainda “obrigatório” diesel também se juntou à festa. Mas, pelos vistos, três não eram suficientes, e por isso, aqui está a quarta variante do Kauai: o Hybrid.

Esteticamente, o Hyundai Kauai Hybrid destaca-se pela cor de lançamento Blue Lagoon (que estava presente na nossa unidade), e pelas exclusivas jantes de 18’’ polegadas. Fora isso, apenas a designação no portão traseiro. Com isso, quer dizer que o Kauai continua a ser um dos crossovers com desenho mais “extrovertido” do mercado, e que como é possível constatar nas nossas estradas, dono de um enorme sucesso no que toca a vendas.

No interior, as coisas já mudam um pouco mais, mas não revolucionam. O painel de instrumentos, perde o conta-rotações, e nesse lugar passa a ter o indicador do sistema híbrido (para saber se está a carregar baterias, se está na zona eco ou se está a abusar do pedal e a estragar os consumos). Ao centro, também contamos com o novo ecrã multimédia de 10,25’’ com um novo sistema de reconhecimento de voz, para além de menus dedicados ao sistema híbrido e dos já conhecidos sistemas de conetividade, Apple CarPlay e Android Auto.

No que toca a equipamento, não se pode dizer que este Hyundai Kauai Hybrid não seja bem equipado, porém, estranhamos a opção da marca por um espelho retrovisor “manual” (sem função electrocromática) e a impossibilidade de contar com bancos aquecidos, algo que os automóveis coreanos costumam oferecer.

De qualquer forma, não falta cruise-control, vidros escurecidos, sistema de travagem automática em cidade, e correção de via de forma ativa, não esquecendo um bom sistema de som da marca americana Krell.

O interior conta com o mesmo espaço de uma versão a combustão, albergando sem quaisquer problemas quatro adultos, com a possibilidade do 5º viajar no lugar central, ainda que não seja o mais confortável do grupo. A bagageira conta com os mesmos 361l das variantes a combustão, e mais 29l que a versão somente elétrica.

Depois de falar do interior e exterior, chega a altura de falar do propulsor. Este híbrido nasce do conjunto entre o motor a gasolina 1.6 GDi de 105cv (já conhecido do Ioniq e do “primo” Kia Niro) e a junção de um motor elétrico de 32kW (43,5cv) e 170Nm. Tudo isto, em conjunto, confere a este Kauai Hybrid os mesmos 141cv que o seu modelo irmão preocupado com o ambiente (Ioniq). A isto, junta-se obviamente a bateria em iões de lítio de 1,56kWh.

Ao contrário dos seus rivais da “ilha vizinha”, o Hyundai Kauai usa uma transmissão de dupla-embraiagem com 6 velocidades, ao invés de uma CVT, o que torna a tarefa de condução mais normal, e podemos mesmo dizer, mais dinâmica. Ainda para mais se usarmos as patilhas seletoras de velocidade montadas atrás do volante, e que acionam o modo sport.

Mas para isso vamos falar da condução.

Obviamente, a comparação vai muito ter com o Ioniq, e logo aí, notamos que este Kauai é mais “dependente” do seu motor de combustão, optando muitas vezes por iniciar a sua marcha com o motor a gasolina, e não com o elétrico. Isso também é constatado em ligeiras subidas, “acordando” logo o motor que nós abastecemos. Não parece usar o máximo do sistema híbrido por vezes, e podemos dizer que nos quilómetros que circulámos (que pouco passou de duas centenas), a carga da bateria, que é conseguida na regeneração de descidas e travagens, não subiu mais do que ¾. Ainda assim, o consumo, num ciclo misto, acabou nos 5,8 l/100km, o que equivale ao que o diesel com caixa manual consegue obter.

Dinamicamente, o Hyundai Kauai Hybrid não exibe muita perda face às versões de combustão, e isso também é possível graças ao seu peso, que mesmo sendo um híbrido pesa 1.451kg, apenas mais 46kg comparativamente à versão diesel, mas também graças ao binário mais elevado desta variante e aos pneus que este modelo monta. Sim, a marca optou por colocar uns Michelin Pilot Sport em vez de uma outra opção… mais verde e menos aderente.

A transmissão consegue ser suave na sua operação, e por vezes estica um pouco demais as relações, mas nada de grave. Em modo sport, ela torna-se mais rápida nas passagens, assim como o pedal fica mais reativo, podendo assumir um andamento mais rápido. Mas olhem que se querem isso, não é um híbrido que procuram.

Por isso, para vocês, aqui vai um segredo: foi visto pelo “inferno verde”, um Kauai com “pinta” de ser um “N”, portanto, se o que querem mesmo é andar depressa, esperem mais um bocado e pode ser que tenham uma surpresa…

No final, são pedidos 27.410€, cerca de 1710€ a mais de diferença face ao diesel, e isso parece justo. Ainda que este Hybrid tenha consumido basicamente o mesmo que o diesel, é possível que isso venha a diminuir com o aumento de quilómetros. Para além disso, o funcionamento deste Hybrid é mais suave, e o que se paga a mais, é basicamente o preço da transmissão de dupla embraiagem. Pensamos que vale a pena, se estiver indeciso entre este e o diesel.

Agora, se vai circular menos quilómetros ao ano, o Kauai 1.0 T-GDi, mesmo que consuma mais do que qualquer um desses dois, também é (bem) mais barato a adquirir. É uma questão de fazer contas. Uma que não terá de fazer é à garantia, já que a marca oferece 7 anos, sem limite de quilómetros. E nisso, está na linha da frente!


Hyundai Kauai HEV 1.6 GDi Premium MY20

Especificações:
Potência combinada– 141cv
Binário – 265Nm
Aceleração do  0-100 (oficial): 11,2s
Velocidade Máxima (oficial): 160km/h
Consumo anunciado (WLTP) – 4,2l/100km
Consumo medido – 5,2l/100km

Preços:

Unidade ensaiada: 29.160€
Unidade ensaiada c/campanha: 27.410€


Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!