Início Ensaios Ensaio by MotorO2 – Novo Peugeot 508 e 508 SW 1.6 HDi

Ensaio by MotorO2 – Novo Peugeot 508 e 508 SW 1.6 HDi

Ensaio by MotorO2 – Novo Peugeot 508 e 508 SW 1.6 HDi
14
0

Cara ou Coroa?

Como objecto de estudo do ensaio de hoje, vamos voltar afalar acerca do novo Peugeot 508, alvo de uma recente renovação como foi jánoticiado no nosso blog. No entanto, neste ensaio vamos também dar a conhecer amotorização mais vendida e mais racional para o nosso pais, o 1.6 HDi com115cv.
Para testar esta motorização, utilizámos as duas variantesdo 508, em dois níveis de equipamentos diferentes, também eles os maisvendidos, Active e Allure.

A versão Sedan é a que possui um aspeto mais austero eexecutivo, mas também a que apresenta um maior numero de alterações estéticas.
Na traseira, os faróis contam com um novo desenho a 3D quesimula as garras de um leão, mostrando aqui uma das assinaturas luminosas quejá tem sido habito nas últimas criações da marca de Sochaux.

O para-choques contaagora também com uma nova imagem. Na parte inferior, deixa de ter as aberturaspara o escape, algo que não gostava na anterior versão, já que em algumasversões não os tinha expostos, tornando-se portanto redundantes. Ainda natraseira, o portão da bagageira deixa agora de contar com o friso cromado notopo.

Já falámos na frente no primeiro contacto com este modelo,mas nunca é demais comentar este restyling muito bem conseguido pela Peugeot,inicialmente inspirado no concept SR1 apresentado aquando do bicentenário damarca em 2010, e que já inspirou outros modelos como o 308 e 108. O 508 foibuscar ainda inspiração ao concept Exalt, por isso, recorreu a esta linguagem dedesign, em que a principal novidade é o leão ter passado para o centro dagrelha.

O motor ensaiado é o já referido 1.6 e-HDi, conhecido por serbastante frugal e equilibrado, demonstra que os seus 115 cv ainda que não sejamum portento de potencia, conseguem proporcionar uma boa experiência decondução, em parte auxiliados pela caixa manual de 6 velocidades de fácilmanuseamento e de escalonamento longo, fazendo com que o modelo “deslize” bem abaixas rotações.
Por exemplo, em AE a 120km /h o 508 equipado com este motordiesel consegue consumos na ordem dos 4,5l/100. O valor combinado passa marginalmentedos 5 litros aos cem, e quando atestado, o valor de autonomia chega aos 1400km,o que é de louvar num modelo com estas dimensões.

Como disse logo ao inicio, este motor é provavelmente o maisacertado para a realidade do nosso pais. No entanto, se desejar mais potenciapoderá sempre optar pela motorização 2.0 BlueHDI já ensaiada, ou mesmo a Hybrid4,que conjuga o motor térmico, com um propulsor elétrico.

Mas porque variante optar? Berlina ou SW?
Aqui contam o gosto e as necessidades pessoais, já que anível dinâmico a diferença é pouco notória, dado que as dimensões gerais são muitopróximas e a entre eixos, igual. O sedan acaba por vencer um pouco neste campo,por ser, ou dar a sensação de ser mais estável. Seráplacebo ou os 40kg de diferença a fazerem-se notar?
Quanto ao espaço para os passageiros, esse também está embom plano e igual para ambos, sendo bastante desafogado em qualquer sentido. Amaior diferença está é claro atrás dos bancos, na bagageira.

Não tanto pelacapacidade, mas sim pela praticabilidade, já que embora conte com menos 3litros de capacidade, a bagageira da SW é mais modulável, conta com uma menoraltura ao solo, e rebatendo os bancos consegue carregar artigos de maiordimensão. Portanto neste campo, se gosta de passar osfins-de-semana no IKEA a SW é a melhor escolha, mas se for só para carregardecorações do Gato Preto e pouco mais, a Berlina cumpre na perfeição.

Até agora está equilibrado, mas a SW tem um grande trunfo noseu interior, sendo o tecto panorâmico em vidro a “carta na manga” .Ocupando uma superfície de 1,60m2, este basicamente estende-se até aos bancostraseiros, garantindo ao habitáculo uma excelente luminosidade.

Como é possível de observar nas fotos, as versões destes 508são diferentes. A Berlina é a Active e a SW, a Allure. Este ultimo nível, cercade 2000€ mais caro, conta com variado equipamento adicional, entre o qual acessoe arranque mãos livres, Head-Up display, câmara de visãotraseira, navegação, travão de mão eléctrico e bancos em meio-couro.
A gama Active já é de si bem equipada, mas o”salto” para o Allure é justificado em qualquer uma das versões, principalmentena SW por ganhar ainda o tecto panorâmico e os vidros escurecidos.

Mas afinal, qual devo escolher?
Bom, qualquer uma destas variantes é uma boa opção. Por umlado, na minha opinião, a berlina passou a ser esteticamente mais agradávelapós o restyling, mas a carrinha mantém os seus trunfos como a praticalidade eo tecto panorâmico.

A versão Allure vale bem os cerca de dois mil euros a mais,mas independentemente da sua escolha, não se esqueça de somar os 900€ para os”obrigatórios” faróis full-led que proporcionam uma iluminação brilhante quando o cenário se torna mais escuro.
Bem, vou conduzir mais um pouco a ver se me decido, ainda tenho muita autonomia…

 

 

 

Peugeot 508 1.6 e-HDi 115  
Especificações: 


Potência – 115cv às 3600rpm

Binário – 240Nm às 1500rpm

Consumo Anunciado – 4,2l/100km 
Medido:
SW (5,2l/100km) 
Berlina (5,1l/100km)

Preços:
Gama Peugeot 508 a partir de 30.735€
Versão ensaiada (Berlina Active): 34.745€

Versão ensaiada (SW Allure): 37.325€

Texto e Fotos: Rodrigo Hernandez

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!