Início Ensaios Alfa Romeo Stelvio 2.2 Diesel 210 Q4

Alfa Romeo Stelvio 2.2 Diesel 210 Q4

Alfa Romeo Stelvio 2.2 Diesel 210 Q4
0
0

“Ventos de mudança”

Os tempos mudam, as convenções também, e isso é bem visível na Alfa Romeo. A marca reinventou-se, mas assegurou alguma da sua experiência do passado, com um desenho apaixonante e o regresso à tracção traseira. Contudo, o modelo que temos hoje em ensaio não tem tracção traseira, mas sim integral e conta com um desenho, ou formato, fora do que estávamos habituados pela marca. Até agora.

O seu nome, Stelvio, é proveniente de um dos pedaços de estrada mais conhecidos do mundo, situado nos Alpes, na região de Tirol do Sul, com 60 curvas e construída em 1820.  Este nome tem mais que se lhe diga, sejam as condições de aderência, onde um SUV como este deverá ser ideal, ou ainda a agilidade, onde o Stelvio promete ser o melhor do seu segmento.

Depois de um primeiro ensaio à versão 2.0 Turbo de 280cv, agora chega a vez de uma versão mais racional equipada com o motor 2.2 Diesel com 210cv de potência, um conjunto que poderá surpreender até os mais hesitantes. O seu desenho tipicamente Alfa, conta na sua elevada frente com a grelha da marca ladeada por duas generosas entradas de ar. Mais acima, os esguios faróis com tecnologia LED dão um toque de modernidade, bem como uma interessante assinatura luminosa.

O seu perfil, ainda que elevado, é bastante atlético e fácil de gostar. As formas, que se podem mesmo designar de sensuais, subtis e bastante bem conseguidas dão um aspecto interessante de robustez ao mesmo tempo que nos fazem recordar o formato de um coupé, devido à quinta porta num ângulo mais aberto. Também na sua traseira, demonstra bem o seu ADN da marca de Milão, com os faróis rasgados, ou a tampa da mala bastante “clean”, onde apresenta orgulhosamente o nome do modelo, com a desportividade a continuar bem presente nas generosas ponteiras de escape cromadas.

O interior é como o visto no Giulia, bastante elegante. Engane-se quem achar que são “papel químico”, porque apesar das semelhanças, são bastante diferentes, ainda que contem com a mesma linha de estilo. A parte superior é mais informativa, com o painel de instrumentos de fácil leitura e muito completo, enquanto ao centro, o sistema de infotenimento de 8,8’ dá acesso a uma grande panóplia de menus, reguláveis pelo comando situado na consola central, mesmo à mão. Abaixo desse ecrã situam-se apenas os comandos da climatização, num interior onde também houve a preocupação de conseguir espaços de arrumação.

Sentados ao volante, encontramos uma posição de condução elevada, mas perfeitamente correta e alinhada. A visibilidade é boa e o espaço está em bom plano, ainda que atrás não seja o modelo mais espaçoso, sendo aconselhável a apenas dois passageiros devido ao generoso túnel central, bem como a altura do tecto, descendente, o que cria uma forma exterior tão bela. Ainda assim é bastante confortável e a bagageira não sofre com isso, ao contar com uns bons 525L de capacidade.

Ao volante é onde sentimos que tudo faz sentido. Primeira sensação: bastante directo. O motor presente neste Stelvio é, como já dissemos, o 2.2 Diesel de 210cv, com a tecnologia Q4, ou seja tracção integral com o “maestro” a ser a transmissão automática de oito velocidades da ZF. Esse conjunto é bastante homogéneo e eficaz, graças a um motor com bastante força e uma caixa que é muito decidida e suave, o que nos dá uma enorme confiança ao volante. Mas, o que mais impressiona é a sua dinâmica, que é irrepreensível.

A direcção transmite um bom feedback, enquanto a suspensão faz um bom trabalho ao informar o condutor, bem como a uma boa transferência de massas, fazendo com que o Stelvio apresente pouco adornamento de carroçaria e dando a sensação que circula “sobre carris”, o que nos faz andar um pouco mais rápido do que andaríamos com um outro SUV, o que é expectável. Para termos um exemplo, a Alfa não poupou esforços: a distribuição de peso é perfeita (50:50), alguns painéis como o capot e ilhargas, alguns componentes do motor, bem como a suspensão são feitos em alumínio, o que juntamente com o veio de transmissão a ser construído em carbono, tornam este SUV num modelo mais leve que os seus rivais.

Fez a Alfa Romeo um bom trabalho na sua primeira incursão no segmento dos SUV? Se no início tínhamos a impressão que sim, mas preferimos esperar pela versão diesel, agora podemos ter a certeza. É uma proposta mais emocional, ainda que não perca a sua vertente familiar. Neste caso vai-se divertir bastante mais ao volante do que em outras propostas, com consumos comedidos tendo em conta o andamento a que o Alfa Romeo Stelvio nos convida.

Conhece a “outra” versão do Stelvio, para quem os consumos não importam…

Alfa Romeo Stelvio Super 2.2 Diesel 210 AWD AT8  

Especificações:

Potência – 210cv às 3750rpm
Binário – 470 Nm às 1750rpm
Consumo Combinado Anunciado – 4,8L/10w0km
Consumo Combinado Medido – 6,7L/100km
Aceleração 0-100km/h (oficial): 6,6s
Velocidade máxima (oficial): 215 km/h

Preços:
Alfa Romeo Stevio desde: 50.300€
Preço base da versão ensaiada: 59.300€
Preço da unidade ensaiada: 66.300€

Carrega nas fotos e vê o Stelvio em detalhe:

Rodrigo Hernandez Fundador e Director Editorial, criou o MotorO2 em 2012 devido a uma tremenda vontade de escrever acerca da sua grande paixão: os automóveis! Paixão essa que existe mesmo antes de falar, já que a sua primeira palavra foi a de uma conhecida marca de automóveis. Sim, a sério!